Dance With Me (BR Edition)

 

Tablo reader up chevron

Introduction

                               

*2 meses depois do início da história*

 

JessicaEu me apaixonei por você.E não pelo o que você tem, mas acho que está claro que não era nada sério para você. Bem, pra mim era.

Se você se deu o trabalho de ler essa mensagem, não responda. Apenas delete o número e siga sua vida. Eu realmente desejo que você seja muito feliz,Richards.

  Tyler : Eu me apaixonei por você. Não pela sua aparência.(Embora ela me tire o fôlego).

Eu me apaixonei pelo seus mil jeitos.

Pelo jeito que você pode ficar horas com um óculos lendo, sem ter a mínima noção do que está acontecendo no mundo real.

Pelo jeito que você ri quando eu estou bravo.

Pelo jeito que seus tapas ardem quando eu digo alguma besteira.

Pelo jeito que suas mãos me passam uma segurança que eu nunca tive antes.

E eu gostaria de dizer que eu não sou dependente desses e dos outros 996 jeitos. Gostaria de dizer que eu me apaixonei por você.

Porém, a verdade é que eu me apaixono todos os dias por você, e sempre antes de dormir eu desejo que na manhã seguinte você esteja aqui comigo, ou pelo menos que você mande uma mensagem.

Posso ter sido e continuar sendo um idiota. Posso não ser bom com palavras. E também sei que você pediu para que eu não respondesse, mas acho que você precisa saber que não existe felicidade sem você.

 

 

Comment Log in or Join Tablo to comment on this chapter...

Chapter 1

-Todos estão aqui?-perguntou Meredith pela milésima vez.

-Sim-respondemos todos em um tom uníssono arrastado,por termos respondido essa mesma pergunta durante os últimos 10 minutos.

-Enfim...bem...o comunicado que estou prestes a fazer é apenas para quando receberem a notícia oficialmente não ficarem surpresos demais e sofrerem um ataque cardíaco-ela disse,riu e foi interrompida por Brian,nosso irmão mais velho.

-Oh meu Deus,Meredith! Você está grávida?! Parabéns! -ele berrou com uma voz afetada.

-O quê?Cadê o endereço do seu namoradinho para eu cortar o pinto dele fora-disse James,o segundo irmão mais velho e todos caíram na gargalhada,menos Meredith e ,é claro, nossa prima Joanne.

-Não.-Meri disse firme,forçando um sorriso simpático-Eu não estou grávida, e você não vai cortar nada de ninguém,James-disse ela entre dentes,levemente irritada.

-Ouch!-James resmungou e levou um tapa da mamãe.

-Continuando e indo diretamente ao ponto-ela respirou fundo e completou-Tyler me pediu em noivado e como ele sabe que você,papai,é um cara tradicional pedirá a minha mão num jantar aqui,com família e amigos,no mês que vem.-ela terminou seu discurso provavelmente ensaiado mil vezes ao julgar pela voz "decoreba" dela.

-Mas por que só no mês que vem,Meri?-perguntou papai com um sorriso no rosto.

-Ele está muito ocupado na empresa do pai esses dias e disse que quer um tempo reservado para conhecer toda a família-ela disse não contendo um sorriso eufórico e ansioso.

-Que rapaz educado e gentil-mamãe correu para abraçar a filha mais nova,provavelmente morrendo de orgulho dela e do título que receberia de "Sogra do futuro maior empresário da Inglaterra".

Patético,eu sei.

Tyler Richards.Provavelmente um riquinho metido,tirado a merda que encontrou uma parceira ,igualmente metida e tirada a merda,para juntar os trapos.

A diferença era que Tyler tem recursos para ser mimado,Meredith não.

Eu nunca tinha visto uma foto desse cara,muito menos o visto pessoalmente,pois sempre que nos visitava um "infeliz imprevisto" me tirava de casa.

-É parece que finalmente conheceremos o "bambambam" do momento-Jeniffer sussurrou baixinho para mim e eu ri.

Jennifer Campbell,minha melhor amiga (lê-se irmã).Nós ,possivelmente,nos conhecíamos desde a maternidade.

Ela me dizia que se fosse homem seria minha alma gêmea e impediria,com isso,meu dedo podre para namorados.

Infelizmente,ela não era homem e não podia conter minhas paixonites erradas,mas falaremos disso depois.

-Se depender de mim,eu me jogo de um penhaso antes que isso aconteça-eu disse me colocando em última na fila que se formava para parabenizar Meredith.Não importa se elatinha ou não consideração por mim.

-Ah qual é,Jessie! Não pode evitar que uma hora terá que conhecer seu futuro cunhado-ela disse apontando o dedo para mim.

-Nada contra ele-fingi indiferença dando de ombros-Apenas não aguentarei dois egocêntricos durante um jantar inteiro-eu andava conforme a fila diminuía.

-Ah...bem não deve ser tão insuportável assim,aliás,eu ,Daniel e talvez o Brian estaremos aqui para te fazer companhia-ela disse sorrindo convencida.

-Você não acha insuportável porque nunca teve que aguentar uma conversa dos dois de uma hora e meia,no seu quarto e com a ligação sendo no seu celular.

-Aposto que se inveja matasse,você já estaria morta,não é,Jessica?-uma voz calma,fina (e cínica) entrou na conversa-Supere o fato que sua irmã mais nova arranjou alguém decente e você não.

-Além de tudo que você já é,resolveu virar inconveniente também,Joanne?-Jeniffer disse sorrindo de um modo que quem observasse de longe e não nos conhecesse ,pensaria que éramos todas amigas inseparáveis.

-Vê se não tentar roubar o noivo,como você tentou roubar os namorados-disse ela ignorando o comentário de Jen.

-Eu nunca tentei roubar o namorado de ninguém,diferente de você,Jojo-a expressão dela alternou para uma surpresa mas logo voltou a ironia de sempre.

-Não me chame de Jojo! E eu não vou discutir quem tentou o quê,só fique longe do Tyler,amorzinho.-disse ela apontando-me o indicador.

-Nem precisava pedir.....Jojo-pisquei para ela e fui em direção a Meredith já que minha vez na fila chegou.

Meredith era a caçula dos irmãos,um ano mais nova que eu.Sempre quis disputar tudo comigo:desde atenção até namorados.Tudo isso apenas piorou com a chegada "ilustre" de Joanne em nossa casa,já que seus pais viviam em pé de guerra e não tinham a mínima condição mental para criá-la.

Meredith,entretanto,não era de todo mal,apenas era meio afetada e mimada demais pela nossa mãe,que acha a filha uma princesa santa e virgem.

Não mais,mamãe.

-Oi...hm...Jessie!-ela disse quando me aproximei.

-Olá,Meredith! Não precisa ficar com medo,eu sou sua irmã ,não tenho tendência canibal e por isso não vou te morder enquanto a Joanne não está aqui- eu disse brincando e ela soltou o ar preso aliviada.

-Certo...-ela riu e parou logo em seguida-Você não está brava comigo,está?- ela perguntou insegura,como uma criança que foi inocentemente mal educada e se desculpava com os pais.

-Eu?Tenho motivos?-perguntei surpresa tanto com a sua pergunta quanto com seu tom de voz inseguro.

-Assim...bem...eu vou me casar...quer dizer...você é a mais velha,deveria usar primeiro o vestido da mamãe e depois me passar,não o contrário-ela estava nervosa,piscava desnecessárias vezes.

A verdade é que ela ainda era aquela menina fútil e metida que adorava disputas,mas também era ainda a mesma menina ingênua e frágil de quando éramos crianças.A Meredith metida e fútil aparecia apenas com Joanne ao lado e chegando a esse ponto,a conclusão era que fazia muito tempo que eu não conversava com Meri sem a presença de Joanne.

-Não se preocupe.Estou mais feliz por você está noiva do que se fosse eu.Com certeza ficarei muito mais honrada se usar o vestido depois de você.-sorri para ela verdadeiramente em anos-Ah e parabéns ele é um cara de sorte.

Ela sorriu radiante e deu um obrigado baixinho no momento que a 'Jojo' apareceu.

-Estava aqui falando com a Jessica,como se comportar quando Tyler estiver aqui-Meri disse com o tom rude da 'Meredith Má'.

Respirei fundo,rolei os olhos,Joanne sorriu satisfeita e eu fui pro jardim esperar a Jeniffer parabenizar Meri, para andarmos sem destino por aí.

Ao terminar,Jeniffer disse que tinha a urgência de ir ao banheiro,então voltei para dentro em direção da cozinha para pegar uma maçã.Fui interrompida,entretanto.

-Você vem,não vem?Digo... ao meu jantar de noivado-ela disse rapidamente segurando-me pelo braço-Não vai inventar desculpas dessa vez,vai?

Eu não respondi,não estava no clima para esse jantar.

"Você tem um mês para me dar a resposta,pois se você não vier,eu desmarcarei o jantar até você aparecer-soltou meu braço e me deu um abraço demorado como não dávamos a muito tempo.Eu normalmente não corresponderia,mas esse era verdadeiro.

-Meredith,cadê você,hein?-Mamãe gritou e ela logo partiu o abraço com o susto,deu um sorriso-Um mês.-e correu para a sala.

É esse noivado está mudando pessoas,quem sabe eu não dou as caras nesse jantar.Mal sabia eu as reviravoltas que me aconteceriam em 1 mês.

Comment Log in or Join Tablo to comment on this chapter...

Chapter 2

Tyler's P.O.V

-Parabéns,chefinho!-Susie,minha secretária,entrou na sala com um cupcake que continha uma vela acesa em cima.

-Susie,hoje não é meu aniversário e você deve saber muito bem disso.-me levantei e caminhei até ela que tinha um sorriso de orelha à orelha.

-Claro que eu sei,chefinho,mas também sei que um certo chefe e amigo meu contraiu noivado.-disse Susie ainda segurando o cupcake enquanto ajeitava seus óculos que lhe deixavam aparentar ser uma pessoa séria que utilizava a expressão "contrair noivado".

-Ignorando sua formalidade,gostaria que ignorasse a necessidade do título de chefe,afinal somos amigos desde a faculdade.-dei um sorriso impaciente para ela.

-E perder a chance de vê-lo ser tomado pela impaciência?-ela disse esticando o cupcake em minha direção- Chefinho-ela piscou divertida-Agora sopre logo essa vela,faça um pedido mágico-rolou os olhos-e devore de uma vez esse cupcake.Ainda tenho que checar sua agenda com compromissos para hoje.

-Ah pode ir checar-eu disse tentando pegar o cupcake de sua mão.

-Sopre essa vela na minha frente,AGORA.-Falou entre dentes

-Tá bom,tá bom-tratei de soprar logo,afinal,não é todo dia que vemos a graciosa Susie perder a paciência.

-Ótimo!-ela entregou o cupcake,ajeitou a saia e os óculos,colou os cabelos curtos e loiros,atrás da orelha e recuperou o sorriso de uma orelha à outra.-Bom trabalho,chefinho.

E saiu deixando-me sozinho com o apetitoso cupcake que agora tinha minha atençãp especial.

***

-Chefinho?Posso entrar?-disse Susie colocando a cabeça para dentro de minha sala.

-Claro,Susie-disse cansado ignorando,como sempre,o "chefinho".

Ela deu os passos que a separavam da cadeira em frente a minha mesa e sentou-se numa calma invejável,até mesmo irritante,tirou os óculos e disse:

-Seja lá o que você estiver fazendo ,pode ir parando e ir prestando atenção em mim.

-Sim,senhora-disse e tirei os olhos da papelada para voltar minha atenção a ela.

-Está cada dia mais parecido com seu pai,mais ocupado,mais sério...

-Mais chato-sorri interrompendo-a.

-Isso é você quem diz-apontou para mim com um sorriso maroto.-o que estou tentando dizer é que você não é o Tyler de dois meses atrás,muito menos o Tyler que eu conheci,entende?-perguntou firme-Não é mais leve,travesso,rebelde como até dois meses atrás,parece que só vive para trabalhar,trabalhar e trabalhar...-gesticulou.

-Acontece,querida Susie, que eu não estava quase-casado há dois meses atrás-disse sem emoção-e eu me divirto sim nas horas vagas-franzi a testa indignado.

-Tomar cerveja enquanto joga video games ou vê canais adultos na TV,não é diversão.-levantou uma sombracelha-Você está compremetido e tem 24 anos,não é um velhote que só tem canais adultos e cervejas para se satisfazer.

-Você pode,por favor,tirar meus canais adultos de conversa?Obrigada.-disse incomodado,mas ainda à vontade de estar conversando com alguém que não fosse clientes,meu pai ou a Meredith.

-A questão é que você precisar relaxar-ela levantou e pôs as mãos na cintura-Meredith pretende se casar com um cara de 24 anos,não com um velhote sendentário e sem charme.Te dará um pé na bunda em 5 segundos.

-E a senhorita tem alguma sugestão?-fiz ela acalmar os nervos e sentar-se novamente na cadeira.

-Já pensou em dança?-ela disse com um tom que beirava o "vamos-roubar-o-gabarito-da-prova-final".

Ri de sua pergunta e ela bateu na mesa para chamar minha atenção.

-Isso é pegadinha?-eu perguntei incrédulo.

-Não,isso é sério.O cunhado de uma amiga minha estava ficando assim igual a você-provocou-e depois que entrou para a dança parece um cara de 20 anos,não um de 30.

Olhei para ela ainda esperando que ela dissesse que era uma brincadeira.Pelo visto,não era.

-Olha Susie-cocei a cabeça sem jeito.Ela só tentava ajudar,afinal.-Não acho que a dança resolva meu "problema"-fiz aspas com os dedos ao dizer problema-muito menos que tenha algo a ver comigo,mas obrigado.-sorri sincero.

-Argh!Como você é cabeça dura,Tyler-colocou os óculos e caçou um papel dobrado no bolso de sua saia- se mudar de ideia pelo menos dê uma passada lá na academia e faça uma aula experimental-colocou um folheto de uma "London Dance Academy" na minha mesa-Ah!E na ida para casa não esqueça de parar num posto para por óleo no carro ou vai ter que ir a pé no meio do caminho-ela disse um tanto desapontada comigo-Vou indo pra casa.

-Tudo bem,Susie.Obrigado e bom descanso!-arrumei as papeleiras em cima da mesa, enquanto ela andava em direção a porta-Ah,Susie-chamei-lhe a atenção e ela virou-se para mim-Acha mesmo que perdi meu charme?

Ela me olhou incrédula,ia me dizer que sim,tenho certeza,mas apenas deu um sorriso sugestivo e saiu da sala.

Arrumei os papeis e me preparei para ir embora.

***

-Mas que droga!-bati a mão com força no volante,quando o carro parou e desligou definitivamente-Isso não pode tá acontecendo!-tentei uma,duas,três vezes e nada.Tudo que aparecia no computador de bordo era "Motor sem óleo,favor repor para dar partida normalmente com o carro"

Merda de carros tecnológicos.Não podiam simplesmente avisar que estavam sem óleo e continuar funcionando até o motor bater?Agora eu tô num bairro,provavelmente comercial(bem povoado de dia pelo menos) e ponto de ladrões(à noite) às oito horas da noite,beleza!

A única coisa que eu tinha certeza é que o único posto mais próximo era mais longe do que minha própria casa.Ótimo!

Peguei minha última esperança:meu celular.Adivinha?Sem sinal.Agora ficou perfeito.

Ouvi várias risadas e gargalhadas vindas de um grupo de pessoas mais ou menos da minha idade,saindo do metrô do outro lado da avenida.Elas atravessaram,passaram por mim e entraram num prédio que eu só percebi a existência naquele momento.

"London Dance Academy"-informava o letreiro em letra cursiva vermelha néon.

Era isso,só podia ser brincadeira.Deus devia ser um cara brincalhão ou Susie era uma filha da mãe.Fico com a segunda opção.

-Não vai tirar pedaço,vai?-suspirei exteriorizando minha dúvida interna,olhei para minhas roupas,colocadas na saída do trabalho:calça jeans escura,camisa pólo azul celeste e um tênis esportivo.O suficiente para o herdeiro das empresas "Richards" não fosse reconhecido,com esse pensamento entrei no prédio.

Comment Log in or Join Tablo to comment on this chapter...
~

You might like J.K.Lo (Emmy Lopez)'s other books...